RODADAS DE NEGOCIAÇÕES

Petroquímicos
Sindiquímica luta por avanços
O Sindiquímica (sindicato laboral) se reuniu com o Sinpeq (sindicato patronal), na manhã desta terça-feira (14) para dar prosseguimento às negociações da campanha salarial. As empresas rejeitam a proposta de salvaguarda. Após exaustivo debate, os sindicatos (laboral e patronal) convergiram no entendimento de que nenhum acordo individual ou ato unilateral se sobreporá às condições de trabalho a serem convencionadas em norma coletiva. Na perspectiva de pactuar tal entendimento na Convenção, as partes se comprometeram a levar a proposta às suas respectivas assembleias para apreciação e deliberação. Portanto, é importante que os trabalhadores continuem participando das assembleias realizadas pelo Sindiquímica para que se manifestem sobre a proposta discutida na negociação com o patronato. A próxima rodada de negociação foi marcada para o dia 22/11, às 16h, na FIEB.

Químicos e Plásticos
Patronato apresenta contraproposta
Nas negociações desta terça-feira (14), o Sindiplasba (sindicato patronal) rejeitou a proposta apresentada pelo Sindiquímica (sindicato laboral) na negociação do dia 08. Depois de intensos debates, o Sindiplasba se comprometeu em levar às empresas do setor a proposta de pactuar que nenhum acordo individual ou unilateral se sobreporá às condições de trabalho que vierem a ser convencionadas em normas coletivas. Em relação ao reajuste, o patronato mantém a proposta de reajuste salarial de 1, 83%, que é o INPC acumulado no período. O Sindiquímica, por sua vez, solicitou que esse assunto também seja tratado pelas empresas. A próxima rodada de negociação ocorrerá no dia 24/11, às 10h, no Sindiplasba.

Terminais químicos
Categoria e sindicato rejeitam proposta patronal
TEQUIMAR - O Sindiquímica se reuniu com a direção do Tequimar, na manhã do dia 17, para discutir a campanha salarial. A empresa ofereceu reajuste salarial de 1,73% (INPC) e propõe manter a atual Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). Em relação às cláusulas relacionadas à reforma trabalhista, o Tequimar propõe discutir “a medida que surgir a necessidade”. Em resposta, o sindicato disse que vai avaliar a proposta, pois o índice apresentado não oferece ganho real aos trabalhadores. O Sindiquímica solicitou, ainda, o retorno das negociações, em mesa, da cláusula que trata do passivo das horas extras. Ambas as partes concordaram em manter a data base em 1º de setembro. O sindicato vai realizar uma assembleia para discutir a proposta do Tequimar com os trabalhadores. Uma nova rodada de negociação ficou confirmada para sexta-feira (27).
TEQUIMAR
Sem negociação com o sindicato, Vopak responde pauta de reivindicações
VOPAK - Sem discussão prévia sobre a pauta de reivindicações, no dia 07/11, a Vopak encaminhou um documento ao Sindiquímica com sua resposta sobre cada item da pauta (veja aqui). Para as cláusulas econômicas, a Vopak oferece reajuste de 1,73%. Em relação às demais cláusulas, a Vopak nega vários itens e ameaça aplicar a atual legislação. A proposta está sendo apreciada pelos trabalhadores nas assembleias e o resultado da votação da categoria será encaminhado à Vopak na primeira negociação que ocorrerá na sexta-feira (17), às 14h.
VOPAK

SEMINÁRIO PREPARATÓRIO

O seminário preparatório da campanha salarial ocorreu na manhã de sábado do dia 19 de agosto, no auditório do Sindiquímica. Dirigentes sindicais e trabalhadores se reuniram para discutir formas de enfrentamento contra os prejuízos que virão com a reforma trabalhista (Lei 14.367) sancionada pelo presidente golpista Michel Temer (PMDB), principalmente, para as categorias com data base no segundo semestre. Os assessores jurídicos do sindicato, Dr. Ricardo Serra e Dr. Moacir Martins, e a técnica do Dieese, Nádia Vieira participaram como palestrantes.  Ricardo apresentou em primeira mão as propostas dos advogados que foram tiradas durante o encontro jurídico da CUT que aconteceu em São Paulo, e que discutiu os impactos da reforma trabalhista na classe trabalhadora. O edital de convocação de assembleias foi publicado no dia 27 no boletim Grave.
Veja a apresentação da economista do Dieese