RODADAS DE NEGOCIAÇÕES

Petroquímicos (acordo ASSINADO)
Petroquímicos garantem importantes conquistas
Os trabalhadores petroquímicos se mobilizaram para barrar a tentativa das empresas de alterar a Convenção Coletiva de Trabalho para retirar direitos e implementar as medidas da reforma trabalhista na categoria. Uma batalha foi vencida, fazendo recuar o patronato. Derrotamos a lei trabalhista de Temer, garantindo a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), além de ter introduzido uma cláusula, na CCT, que dá segurança jurídica para impedir que a legislação trabalhista possa alterar nossos direitos. Foi garantido também a inflação do período. A CCT já foi assinada e publicada no site do sindicato.


Plásticos (acordo FECHADO)
Categoria conquista reajuste acima da inflação
A intensa mobilização dos trabalhadores do setor plástico que paralisaram as atividades nas fábricas do setor fez o patronato avançar na sua proposta. Na negociação de segunda-feira (11), as empresas recuaram e aceitaram a cláusula de salvaguarda, além dos outros itens já pacificados em negociações anteriores. A categoria conquistou um reajuste acima da inflação de 2% para os salários até R$ 8.200,00 e valor fixo de R$ 164,00 para as remunerações acima desse valor. O auxílio alimentação passou de 351,32 para R$ 365,00 (aumento de 3,9%). Garantimos, ainda, a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho e introduzimos uma cláusula, na CCT, que dá segurança jurídica para impedir que a atual legislação trabalhista possa reduzir nossos direitos. Os trabalhadores estão aprovando a proposta nas assembleias.


Químicos
Químicos rejeitam ameaça patronal
Na última negociação o Quimbahia (sindicato patronal) apresentou uma contraproposta de alterar e modificar a Convenção Coletiva de Trabalho quase na sua integridade. Sequer deu resposta da pauta de reivindicações. Isso significa que o setor ameaça aplicar a reforma trabalhista que retira e destrói direitos conquistados com muita luta pelos trabalhadores. A proposta foi rejeitada pela categoria. O Sindiquímica vem fazendo mobilizações em todas as empresas do setor para pressionar o patronato. Uma nova rodada de negociação está marcada para quarta-feira (13) pela manhã.


Terminais químicos
TEQUIMAR (acordo FECHADO)
Trabalhadores do Tequimar conquistam reajuste acima da inflação
Os trabalhadores do Tequimar fecharam o Acordo Coletivo de Trabalho com importantes avanços. A categoria conquistou reajuste salarial de 3% ampliado às demais cláusulas econômicas, exceto na cesta básica que teve reajuste de 5%. Isso significa um ganho real de 1,25% nos salários e 3,21% na cesta básica. O Tequimar concordou em renovar a atual Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) e negociar com o sindicato qualquer alteração nos itens da CCT. A empresa garantiu, ainda, a data base em 1º de setembro. Diante da atual conjuntura, esta foi uma grande conquista dos trabalhadores do Tequimar, além do Sindiquímica que merece ser comemorada.
VOPAK
Sem negociação com o sindicato, Vopak responde pauta de reivindicações
Sem discussão prévia sobre a pauta de reivindicações, no dia 07/11, a Vopak encaminhou um documento ao Sindiquímica com sua resposta sobre cada item da pauta (veja aqui). Para as cláusulas econômicas, a Vopak oferece reajuste de 1,73%. Em relação às demais cláusulas, a Vopak nega vários itens e ameaça aplicar a atual legislação. A proposta está sendo apreciada pelos trabalhadores nas assembleias e o resultado da votação da categoria será encaminhado à Vopak na primeira negociação que ocorrerá na sexta-feira (17), às 14h.

SEMINÁRIO PREPARATÓRIO

O seminário preparatório da campanha salarial ocorreu na manhã de sábado do dia 19 de agosto, no auditório do Sindiquímica. Dirigentes sindicais e trabalhadores se reuniram para discutir formas de enfrentamento contra os prejuízos que virão com a reforma trabalhista (Lei 14.367) sancionada pelo presidente golpista Michel Temer (PMDB), principalmente, para as categorias com data base no segundo semestre. Os assessores jurídicos do sindicato, Dr. Ricardo Serra e Dr. Moacir Martins, e a técnica do Dieese, Nádia Vieira participaram como palestrantes.  Ricardo apresentou em primeira mão as propostas dos advogados que foram tiradas durante o encontro jurídico da CUT que aconteceu em São Paulo, e que discutiu os impactos da reforma trabalhista na classe trabalhadora. O edital de convocação de assembleias foi publicado no dia 27 no boletim Grave.
Veja a apresentação da economista do Dieese